Menu
Pensamentos / Viagem / Vida cristã

Imigrante em terras estranhas

15 de março foi um dia marcante na minha história. O dia em que precisei despedir mais uma vez, dessa vez, dos meus avós, primos e tias que convivia todos os dias e colocar tudo o que acumulei ao longo desses meus 22 anos de vida em duas malas, sendo uma delas, de bordo. Não vou dizer que foi fácil, muito menos empolgante, mas era necessário deixar algumas coisas para trás para percorrer novos caminhos.

Para quem vê de fora, quando alguém toma uma atitude que irá mudar drasticamente a vida dela, parece ser algo imensamente bom em sua totalidade, mas a verdade é que tomar certas atitudes, mudar o roteiro, mudar de ambiente e sair de dentro do ninho, custa muito caro, muito mesmo. Lembro-me do desespero batendo na porta quando os dias foram se aproximando, cheguei a orar ao Senhor pedindo para que se possível ele afastasse aquele cálice de mim, sabendo exatamente que aquela não era a vontade de Deus.
Quando Jesus, fez essa mesma oração ao Pai quando se aproximava o momento dele se entregar numa cruz, aquela era a sua carne gritando para que a vontade dele permanecesse, mas em seu espirito sabia que precisava passar por aquilo, e assim continuou dizendo que era para ser feita a vontade de Deus sobre todas as coisas. A dor física, o sofrimento da alma, as calúnias, não foram retiradas de si naquela cruz, pelo contrário, para cumprir a vontade de Deus, Jesus precisou passar por muita coisa, que nós mesmos não aguentaríamos, para que hoje tivéssemos vida. Para que gerações fossem alcançadas e salvas naquela época, nos dias atuais e também no futuro.
E com essa reflexão, entendi que mudar de país, imigrar para uma terra estranha a qual eu ainda não conhecia, me custaria muitas coisas das quais eu precisava entregar ao Senhor. O meu conforto, a segurança, os meus planos, meus amigos, e principalmente a minha família. Não foi um glamuor como talvez muitos que imigram para outro país também tem, não. O que me trás esperança, conforto e paz é saber que o próprio Deus me trouxe, e nos trouxe, para cumprir o seu propósito e que nós não viveremos nada além do que Ele já preparou para nós, é tudo questão de confiar que aquele que começou a boa obra, é fiel para completá-la.
Aflições, medos, inseguranças, preocupações e incertezas fazem parte da vida do imigrante, a gente não sabe como é o dia de amanhã, não sabemos como as coisas procederão e a nossa carne tentará de tudo para ter essas certezas, para ter tudo muito bem planejado, ainda que sabemos que tudo está no controle de Deus. Apesar de estar me preparando psicologicamente para vir para Portugal desde que começamos a planejar o casamento, a dois anos atrás, chegar aqui, viver as dinâmicas como imigrante em terras estranhas, foi uma surpresa, não de forma glamurosa, mas ao ponto de lágrimas e mais lágrimas serem derramadas aos pés do Senhor.
Sentimos sozinhas, sem ajuda, sem amizades, com medo do novo, tristes, chorosas, com muita ansiedade por saber qual vai ser o próximo passo, querendo voltar para o Brasil a qualquer preço, que foi exatamente a minha experiência nos primeiros dias, mas quando voltei os meus olhos para Jesus, entendi que esse era o preço a se pagar para viver uma vida fora da curva, uma vida com propósito, fazer só o que nos agrada, é bom demais porém nos limita a viver no raso. Quando entregamos verdadeiramente as nossas vontades acima de tudo para viver coisas que nos tiram da nossa zona de conforto, que nos faz chorar, que nos aperta, passamos a experimentar dimensões mais profundas em Deus, as águas já não batem mais nas canelas, e todo o nosso ser é esticado. 
Os primeiros dias sempre são os mais difíceis, a nossa alma quer gritar, quer desistir, quer espernear e fechar a cara no momento de dor, desespero, incertezas e inseguranças mas se eu pudesse dar um conselho para quem também irá imigrar seja em breve ou quem sabe daqui a um tempo é: independente de quaisquer coisas, independente da dor, do tamanho da tristeza, frustração e medos, continue olhando para Jesus, mantenha e busque ter mais intimidade com o Senhor, não saia desse lugar pois em meio ao caos que pode sobrevir a você, é o Senhor quem te dará forças e quem estará com você independente do que acontecer, fazendo novas todas as coisas.
O nosso instinto sempre será de nos afastarmos desse lugar de oração, de busca e de comunhão com o Senhor nesses momentos em que nossa alma grita, ao longo desses dois meses morando aqui em Portugal, eu precisei de muita disciplina e tenho precisado a cada dia, para me manter constante no Senhor, para renovar as minhas forças nEle. Nos podemos falhar, mas Deus jamais falha e se ele te levou ou ainda te levará para outra nação, confie nEle, por mais que não saibamos, Ele sabe o que faz, somente confie e descanse no Senhor em meio as tempestades.
As tempestades vem, mas a calmaria vem logo em seguida.
Se esse texto fez sentido para você, me conte nos comentários, vou ficar super feliz de saber o que você achou. Compartilhe esse texto também com alguém que você sabe que precisa ler essas palavras hoje, copie e cole o texto em algum grupo, poste o print do texto nas redes sociais, são várias possibilidades mas não desperdice a oportunidade que você tem nas mãos.
Me acompanhe no IG @larissabuenoc , lá compartilho de forma mais próxima, sobre a minha vida e tudo o que o Senhor tem gerado em meu coração.
Com carinho, Lari.

No Comments

    Leave a Reply